Posts Tagged ‘Ranking’

Ranking dos países que mais produziram cerveja em 2012

quarta-feira, julho 31st, 2013

Segundo o relatório da Barth-Haas Group, empresa de produtos e serviços relacionados ao lúpulo (um dos principais ingredientes da cerveja), o Brasil produziu 132.800 milhões de hectolitros em 2012, 0,2% abaixo de 2011. Apesar da leve queda na sua produção o país manteve a terceira posição no ranking. Com o resultado o Brasil teve 6,8% da produção mundial estimada em 1.951.281 milhões de hectolitros.

Barth_Beilage_2013

 

Barth_Beilage_2013_south_america

 

Barth_Beilage_2013_south_america_2

Na primeira posição, os chineses mantiveram a liderança com larga vantagem. O ranking trouxe dados dos últimos três anos e de 2000, analisando um período mais longo a China mais que dobrou sua produção nos últimos 12 anos.

top_20

* Estimado


Ranking dos países com o sistema financeiro mais desenvolvido

sexta-feira, março 1st, 2013

Estudo do Fórum Econômico Mundial apontou Hong Kong como o sistema financeiro mais eficiente do mundo; Brasil ficou em 32º lugar

2012_ranking

O Relatório de Desenvolvimento Financeiro 2012 é baseado no Índice de Desenvolvimento Financeiro, que fornece uma pontuação e classificação para a amplitude, profundidade e eficiência de 62 sistemas financeiros e mercados de capitais de economias líderes mundiais.

the_financial_development_report_2012

O relatório completo pode ser acessado através do link: http://www3.weforum.org/docs/WEF_FinancialDevelopmentReport_2012.pdf

O índice analisa os drivers do desenvolvimento do sistema financeiro que suportam o crescimento econômico, e, assim, compara a competitividade global dos sistemas financeiros. Em última análise, o relatório tem como objetivo servir como uma ferramenta tanto para economias avançadas e emergentes para aferir-se, assim, permitindo-lhes identificar e priorizar áreas com necessidades de reforma.

financial_development_index

O relatório define o desenvolvimento financeiro como os fatores, políticas e instituições que levam a intermediação financeira e mercados para a eficácia, bem como amplo e profundo acesso a capitais e serviços financeiros. De acordo com essa definição, as medidas de desenvolvimento financeiro são capturadas através dos sete pilares do Índice:

1. Ambiente institucional: abrange a liberalização do setor financeiro, governança corporativa, questões legais e regulamentares, e execução de contratos

2. Ambiente de negócios: considera o capital humano, impostos, infraestrutura e os custos de fazer negócios

3. Estabilidade financeira: capta o risco de crises cambiais, crises bancárias sistêmicas e crises de dívida soberana

4. Serviços bancários financeiros: medidas de tamanho, a eficiência e a divulgação de informação financeira

5. Serviços financeiros não bancárias: inclui atividades de IPO, Fusões e Aquisições, seguros e securitização

6. Os mercados financeiros: engloba câmbio e mercados de derivativos, e equidade e desenvolvimento mercado de títulos

7. Acesso financeiro: avalia o acesso ao comércio e varejo

 

O índice tem uma visão abrangente na avaliação dos fatores que contribuem para o desenvolvimento dos sistemas financeiros a longo prazo. Tal abordagem permitirá que os tomadores de decisão possam desenvolver uma perspectiva equilibrada ao determinar quais os aspectos do sistema financeiro de seu país são mais importantes, e para calibrar essa visão empírica relativa a outros países.

Um achado importante nos resultados deste ano do índice é que os sistemas financeiros em todo o mundo parecem ter parado. Apenas dois subpilares, desenvolvimento da atividade de IPOs e mercado de capitais, experimentou considerável mudança neste ano sobre o ano anterior nos dados de base para a maioria dos indicadores. Os resultados mostram que:

• Durante o ano passado, a participação média dos processos de IPO diminuiu 11%, enquanto a participação média de IPOs do mundo em número de ofertas diminuiu 14%. Isto sugere que a listagem das empresas nos mercados está ficando mais concentrada.

• De 2010 para 2011, três dos quatro indicadores no subpilar do desenvolvimento do mercado de capitais mudaram significativamente, em média quase 20%. Durante o mesmo período, mais de dois terços dos países experimentaram um declínio no volume de transações de um ano sobre o anterior e número de empresas listadas por 10.000 pessoas, enquanto três quartos dos países viu uma queda no valor de mercado de ações negociadas em relação ao PIB.

Embora a maioria dos subpilares experimentaram movimentos insignificantes, a atividade de IPO e desenvolvimento do mercado acionário pareciam experimentar uma volatilidade significativa. Portanto, um olhar mais atento às variáveis ​​subjacentes em cada uma dessas subpilares em mais de um período de vários anos comprova o informativo. Olhar para as mudanças nas variáveis ​​individuais de uma perspectiva geral e regional lança luz sobre como as economias e regiões se saíram durante a crise. O relatório presta especial atenção para os cinco principais países que hospedam maiores bolsas de valores do mundo, uma vez que representam mais de 50% do valor de mercado mundial das empresas de capital aberto, e, assim, proporcionar uma perspectiva adicional sobre os efeitos da recente crise nos mercados de ações. Alguns dos pontos-chave desta análise são os seguintes:

• A mudança mais significativa ocorreu dentro do indicador valor de mercado doméstico em relação ao PIB. A variável de maior declínio ano sobre ano ocorreu de 2007 a 2008, e níveis de 2011 ainda são substancialmente mais baixos do que em 2006. No entanto, a liquidez parece estar se estabilizando, como destaca o fato de que a velocidade de volume de negócios se recuperou em 2011, aproximando-se dos níveis de 2006.

• Os resultados regionais estão em linha com as tendências acima mencionadas, como capitalização de mercado em relação ao PIB diminuiu na maioria das regiões, com exceção da Ásia/Pacífico. Em contraste, enquanto o quadro geral sugere que a liquidez está se estabilizando, Europa e América Latina estão em diminuição, indicando que demorando problemas de liquidez podem ser específicos dessas regiões.

• Através das cinco principais economias que possuem as maiores bolsas, a liquidez parece estar se estabilizando em linha com a tendência geral, com exceção do Reino Unido. No entanto, a capitalização de mercado doméstico em relação ao PIB ainda está em declínio em três dos cinco países analisados.

Entre os fatores que influenciam essa queda são as quedas nos valores negociados em relação ao PIB, o número de empresas listadas por 10.000 pessoas e atividades de IPO. Embora se possa observar bolsões de melhoria através de alguns indicadores relacionados ao sistema bancário, isso significa apenas um pequeno passo no que será um longo caminho para a recuperação. Volatilidade em todos os mercados de ações também sugere que muitos atores estão sentindo um grau de incerteza. A fim de aproveitar as muito necessárias oportunidades de crescimento, os tomadores de decisão precisam reconhecer que os sistemas financeiros devem progredir. Ao mesmo tempo, os líderes devem manter um olhar atento sobre os indicadores que mostraram declínios e tomar medidas se as condições continuarem a se deteriorar.