Preço de casas deve cair 30% na China

Por Bloomberg

Os preços das moradias deverão cair até 30% na China no ano que vem, graças às restrições à habitação impostas pelo governo. A afirmação está em um relatório da Barclays Capital Research.

A correção ao setor imobiliário terá um impacto sobre o crescimento econômico do país, embora seja improvável que isso leve a um colapso financeiro, afirmam os economistas da Barclays Capital baseados em Hong Kong e liderados por Huang Yiping, no relatório divulgado ontem. Eles citam o baixo grau de alavancagem das famílias chinesas.

“Os preços deverão ter uma correção maior nas grandes cidades”, afirmam eles no estudo. “Mas também é importante lembrar que o propósito do governo não é provocar um crash no mercado imobiliário residencial, uma vez que isso teria consequências devastadoras para a economia.”

Os preços das moradias na China caíram pelo segundo mês seguido em outubro, segundo a SouFun Holdings. O primeiro-ministro Wen Jiabao disse no mês passado que o governo vai manter “firmemente” seu controle sobre o mercado imobiliário mesmo enquanto tenta fazer um “ajuste fino” em outras políticas econômicas.

O governo deverá fazer um “microajuste” ou mesmo reverter restrições de política se os preços das moradias caírem 20%, pois “não ficará sentado observando uma queda livre” dos preços, escreveram os economistas da Barclays Capital.

Uma queda de 10% a 30% nos preços dos imóveis eliminaria pelo menos de 0,5 a 1 ponto porcentual do crescimento do PIB no ano que vem.

Neste ano, a China aumentou as exigências de entrada e taxas de financiamento imobiliário sobre algumas moradias e impôs restrições à compra de casas em cerca de 40 cidades.

As perspectivas de crédito para os incorporadores imobiliários chineses ficarão “cada vez mais severas” em meio aos esforços do governo para conter a alta dos preços das moradias, informou a agência Standard & Poor’s (S&P) em um relatório divulgado em 27 de setembro.

As incorporadoras vão reduzir seus preços por estarem enfrentando uma grave crise de liquidez, na medida em que a fraqueza das vendas de imóveis persiste, diz a agência.

A Gemdale, quarta maior incorporadora imobiliária da China, disse ontem que as vendas fechadas caíram 29,4% em outubro. As vendas na China Vanke, a maior incorporadora do país, caíram 33%.

A Centaline Property Agency, a maior imobiliária do país, disse em 4 de novembro que vai fechar 60 escritórios e demitir cerca de mil funcionários na cidade de Shenzhen, no sul da China, por causa da queda nas vendas de imóveis.

Fonte: Jornal Valor Econômico – 09/11/2011 – página A11

Tags: , ,

Deixe uma resposta